Categorias

Combate

A célula do combate tem como foco a criação de um robô que travará uma batalha contra outro em uma arena. Para isso, são necessárias habilidades nas áreas de eletrônica, mecânica e modelagem em CAD. A parte eletrônica engloba, entre diversos tópicos,o estudo dos componentes, cálculos de tensão e corrente e dimensionamento de potência. Já a mecânica envolve diversos testes de resistência. Ao participar da célula, os membros adquirem conhecimentos fundamentais para projetos mecatrônicos, além do desenvolvimento do trabalho em grupo e da superação de obstáculos.

Sumô

A célula do sumô procura desenvolver um robô controlado de forma autônoma (ou controlado por controle remoto, dependendo da categoria) que tem como objetivo empurrar seu oponente para fora de um ringue circular, tendo como base para tal tarefa, a coleta e interpretação de informações adquiridas por meio de sensores. Assim, para construí-lo, conhecimentos nas áreas de modelagem, mecânica, elétrica e eletrônica são fundamentais. A parte de modelagem é desenvolvida em CAD (desenho assistido por computador) em softwares como Solidworks, para modelagem mecânica, e Eagle, para a eletrônica. Já a programação é realizada na IDE (ambiente de desenvolvimento integrado) do Arduino, sendo a linguagem mais utilizada a C++.

Seguidor de Linha

A célula do seguidor de linha tem como foco a criação de um robô com um sistema de controle automático para responder às variações na linha da pista. O robô participa de competições de desempenho e o objetivo é realizar o trajeto no menor tempo possível. Para que isso aconteça, são necessários conhecimentos nas áreas de eletrônica, elétrica, programação em microcontroladores e modelagem. Os membros da célula desenvolvem diversas habilidades que são fundamentais para projetos na área da mecatrônica e amplamente utilizadas em processos industriais no geral. Outros aprendizados passados para os membros da célula estão relacionados à integração de sistemas eletromecânicos com microcontroladores ou softwares e à modelagem em CAD utilizando Solidworks, para modelagem mecânica, ou Eagle, para gerar o modelo eletrônico da placa de circuitos do robô.

VSSS

A célula do Very Small Sized Soccer, conhecida como VSSS tem como foco o desenvolvimento de um futebol autônomo no qual os jogadores são robôs. Para tal tarefa, são necessários conhecimentos de programação, simulação, área cada vez mais forte na robótica, e utilização de câmeras. A câmera envia os dados de campo e jogador à inteligência artificial com uma árvore de decisão, que, a partir dessas informações, elege o próximo passo a ser seguido pelo robô.

Marketing

O marketing tem como objetivo divulgar a equipe por meio da criação conteúdo para as redes sociais, cuidando assim, da imagem passada pela equipe. As divulgações são feitas por meio de publicações desenvolvidas pelos membros da célula, podendo ser sobre assuntos como os nossos robôs, processos seletivos, notícias do meio da engenharia mecatrônica ou qualquer outro conteúdo que seja oportuno para tal fim. Os membros do marketing desenvolvem a criatividade e aprendem a trabalhar com prazos e responsabilidades a fim de trazer uma boa visibilidade à equipe, além de desenvolver a habilidade de trabalhar em grupo.

Administração

A administração é responsável pelos assuntos relacionados às partes documental e burocrática necessárias para o funcionamento da equipe, como a aferição da presença nas reuniões e o desenvolvimento de suas atas, o processo seletivo e tudo que englobe a equipe num geral. Além do desenvolvimento interpessoal, os membros da célula desenvolvem outras habilidades essenciais para suas vidas profissionais, como competências relacionadas à organização, documentação e cumprimento de prazos, e aprendem sobre a burocracia por trás da realização dos processos necessários para o bom funcionamento da equipe.

Base

A célula de base tem como objetivo ensinar o básico de eletrônica, programação de microcontroladores, modelagem e quaisquer outros conhecimentos que possam ser aplicados nas demais células. Tais habilidades são desenvolvidas por meio de projetos semestrais, capacitando, assim, os membros, que ao longo do processo têm seu comprometimento, vontade de aprender e trabalho em equipe avaliados. Após esse período, os membros da base são inseridos nas células desejadas. A célula de base está sendo modificada para se tornar um curso que pode ser feito em paralelo com outras atividades na equipe.